SOCIAL MEDIA

30/09/2017

Mudanças de hábitos que fazem toda a diferença


Olha só quem deu as caras no "De cara", hehe.

Bem, meu blog é super pessoal, então vou começar desabafando o que sinto no momento sem ir diretamente ao assunto do post. o/

Eu já tinha comentado aqui que agora estou fazendo outro curso superior só que agora em um horário integral e deixado um recadinho aqui na sidebar do blog que não estaria muito on-line por aqui... Pois bem, quando eu criei o blog eu estava numa fase de saturação mental por já estar no último ano do meu curso superior e convenhamos que 4 anos é muuuita coisa né?! O blog foi minha válvula de escape e deixei de me dedicar 100% à Universidade para voltar a blogar e me sentir menos ansiosa, e deu super certo!

Neste ano, com minha rotina nova, eu queria me adaptar primeiro e não queria me desapontar nas disciplinas, já que agora que estou fazendo Educação Física muitas coisas são novas pra mim e só no primeiro período já senti isso na pele: Ou você se dedica ou faz as coisas mais ou menos, e não gosto de fazer meus compromissos mais ou menos.

Hoje, em um belo fim de semana, pensei: por que não ligar o computador e escrever algo "do nada"? Quando estive off do blog eu mal me envolvia com a Blogosfera a não ser pelos grupos do Facebook, tanto que não li ou respondi aos novos comentários (me perdoem!) ou programei posts porque eram muitas atividades que somadas a outras que eu ainda não me organizei eu poderia "enlouquecer", hehe. E respirar faz super bem.

Mas de um jeito ou de outro senti que era tempo de escrever alguma coisa, mesmo que não tenha tantas visitas ou nem que eu esteja 100% envolvida com a Blogosfera como há alguns meses atrás. Sou grata por até receber alguns e-mail sobre o post mais visualizado do blog mesmo quando eu estava desligada de tudo isso aqui e espero poder continuar ajudando uma pessoinha ou outra e me sentir útil nesse meio que é a saudosa Internet.

Eu aprendi muitas coisas depois que eu criei o blog que me fizeram ser uma pessoa melhor, e depois que muitas coisas me aconteceram como me formar, iniciar outras projetos acadêmicos e planejar minha carreira profissional e pessoal, eu amadureci e refleti sobre as coisas seguintes e resolvi compartilhar aqui com vocês:

1. Não deixar pra amanhã o que você pode fazer hoje é mais fácil do que parece

Eu tinha o hábito de acumular assunto "sem querer" porque achava super de boa só ir pra aula, fazer anotações, e me desligar de tudo quando chegasse em casa. Até que chegavam as provas, e dias antes eu tinha que estudar tudo do início e de uma vez, e por fim recebia uma nota "que dava pra passar" e me sentia plena com isso, tirando as vezes em que eu não alcançava notas suficientes e iria para as finais.

Já no meu novo curso que é mais intenso do que o meu anterior, eu não posso nem sonhar em acumular assunto. Então pensei o óbvio: Se eu estudar aos pouquinhos, se eu chegar em casa e fazer o mínimo possível eu não preciso me preocupar tanto. Dito e feito. Enquanto meus colegas se desesperavam  1 dia antes da entrega de um trabalho, eu já estava tranquila porque já tinha feito tudo há 1 semana atrás e agora já focava em outros projetos. 

Sabe, não se trata de necessariamente fazer tudo em um único dia, mas fazer o máximo possível que você pode na data de "hoje". Eu procuro não me cobrar tanto, e se eu estiver cansada e só puder ler 2 parágrafos de um texto, já me sinto com o dever cumprido. E vou falar pra vocês, isso de se esforçar para cumprir suas tarefas do dia vicia! Eu acabei fazendo um planner semanal, e isso me ajuda bastante.

2. Você precisa aprender a dizer "não" e a se impôr

Eu já contei aqui que sofri por não saber lidar com minha introversão, e por muito tempo sofri pra me relacionar com as pessoas. Pra mim era super comum não saber dizer não às pessoas e aturar muitas situações chatas que eu sempre me arrependia por não saber me impôr e por ter medo de tudo que podia acontecer depois. Agora depois de adulta eu tomei atitudes que a Juh de anos atrás se surpreenderia: falar abertamente o que me desapontou, dizer que não gostava de algumas situações, debater quando necessário e não levar desaforo pra casa. 

Muitas vezes, para se livrar de pessoas e situações negativas dizer "não" se faz relevante.

3. Você não precisa se enquadrar em um grupinho ou fazer o que todo mundo faz

Tem coisas que perdem totalmente o sentido quando você se torna adulto. Eu tive que lidar com pessoas que mesmo no nível superior fazem coisas de adolescentes como querer se encaixar em um grupinho ou te fazer se sentir mal por você não fazer parte de um grupo x de amiguinhos, de provocar rivalidades porque você não se junta a elas e coisas do tipo. E tive que lidar com pessoas até mais velhas que eu, mas ainda imaturas o suficiente pra serem facilmente influenciadas pelo o que a maioria faz: Se fulano faz, eu faço, se fulano bebe todas, eu bebo, se todo mundo tá indo pras festas, eu vou, se todo mundo mata aula pra conversar, eu vou....

Sabe, ninguém precisa se submeter a nada disso. É tão mais pleno você se sentir bem consigo mesmo fazendo apenas o que você tem vontade sincera de fazer e estando com quem você quer, sem imposições ou desavenças. 

4. Se afastar de pessoas quando necessário não é o fim do mundo

Como eu passei boa parte da minha vida sendo emocionalmente insegura, eu depositava tudo nas pessoas. Então até mesmo me afastar de pessoas negativas mas que eram próximas a mim me fazia me sentir muito mal e mais sozinha. Mas agora adulta, parece que me tornei imune ao que antes pra mim me provoca uma enorme sensação de vazio. Ninguém precisa passar a vida inteira se lamentando ou se desgastando por conta de uma pessoa ou outra que não te acrescenta em nada. 

Enquanto a gente tem a opção de mudar nosso caminho, e não necessariamente odiar ou querer fazer mal alguém, mas se respeitar e respeitar ao próximo ao ponto de saber que o melhor é não permanecerem juntos, sempre será válido se afastar de todos ou todas que não são "compatíveis" a fazer nossa vida andar pra frente e a nos trazer paz. A gente nunca perde nada quando abre mão de coisas negativas, mesmo que sejam pessoas que antes eram próximas.

Então é isso... Mais uma vez um textão, hehe. Porém sinto um enorme alívio em conseguir mais uma vez dar vida às palavras por meio do blog. Até à próxima publicação! :D

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários :

  1. Adorei o post! Sigo quase todos, menos o primeiro haha! Adorei sei blog ❤
    www.boas-depapo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oii minha querida, primeiramente parabéns pelo post maravilhoso. Bom,nunca fui dessas de 'maria vai com as outras' nunca gostei de ficar em um tipo de grupo específico haha... E parabéns pelo novo curso, e adorei as dicas, tenho que me organizar mais, sei disso, mas nem sei por onde começar ��

    Beijoos Lê ��❤

    ResponderExcluir
  3. É incrível quando você visita um blog e ao ler uma publicação você se vê nela também. Da mesma forma como você, nunca soube lidar com minha introspecção e também não sabia dizer não à ninguém, mas hoje em dia é diferente e quando aprendi tudo isso, vivo a vida de forma mais leve e mais tranquila.
    Esses conselhos são ótimos e parabéns por estar conseguindo se organizar nas suas tarefas, no início não é fácil mesmo, mas quando pegamos o jeito e sentimos o gostinho de dever cumprido... chega a bater certo orgulho! =D


    Beijos,
    Maryanne Simplício
    https://goo.gl/puuFNB

    ResponderExcluir
  4. Juh, que bom que vc voltou!! Boa parte do que vc falou aqui são coisas que também fui aprendendo conforme chegava na vida adulta, e sinceramente, estão entre as melhores descobertas que já fiz, principalmente em se tratando de vida social: a gente não é obrigado a se encaixar em grupinhos nem a andar com pessoas que nos fazem mal! Ultimamente ando "viciada" em deletar coisas da minha vida, e gosto muito de dizer que a sensação de leveza depois de se livrar de pessoas/coisas tóxicas não tem preço!
    Força nos estudos!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post e o item que eu mais concordo é o item 4 de se afastar das pessoas... Amei demais mesmo o post

    Carol Justo | Pink is not Rose

    ResponderExcluir