Memórias de Natal


Confesso que nunca vivi os costumes de muitas pessoas nessa época do ano: falar de uva passa, comer peru, panetone... Não, não vivo em outro planeta. Só não é um costume meu, pelo menos não na minha criação. 

Minhas memórias de Natal me lembram a minha infância. Se tem uma época que o Natal foi vivenciado por mim de forma pura e com sentimentos de paz foi quando criança: Festas da escola, fim de ano, hora de receber a "sacolinha" com as provas e trabalhos do ano, ir pra casa, férias... 

Naquele tempo tudo era inocente, nunca questionei a ligação entre Papai Noel e Jesus, nem quando as músicas como:

Natal, Natal das crianças
Natal da noite de luz
Natal da estrela-guia
Natal do Menino Jesus (...)

Blim, blão, blim, blão,
blim, blão...
O Papai Noel chegou (...)

...Ressurgiam todo dezembro. Afinal, criança só quer sentir a pureza do momento.

Era em dezembro que a árvore de Natal simples que ficava guardada o ano inteiro era retirada das poeiras. Lembro dos enfeites que eram sempre os mesmos, as mesmas bolas vermelhas a serem penduradas, uma corrente dourada... Mas não tinha importância, era divertido enfeitá-la! Colocar uma estrelinha no topo da árvore, e pronto. 

Lembro até de um galho de árvore que minha mãe enfeitou com algodão, e acabamos tendo uma árvore artesanal, tão linda quanto as vendidas no comércio. E ainda, coberta de "neve"!

Claro, tinha o pisca-pisca. Era muito legal passear pela rua e ver cada casa com seu brilho e enfeite diferente. Mas... o Natal era sobre o quê mesmo?

Presentes, presentes, ganhar presentes, Papai Noel... Eu tinha 7 anos quando minha mãe me contou que se eu e meus irmãos deixássemos a sandália na árvore receberíamos presentes do Papai Noel. Me lembro do primeiro presente que recebi: Uma boneca da Sheila Carvalho que vinha com um macaquinho e um pente. A boneca mais linda que eu já ganhei. E eu não soube falar nada, só ficar admirando.

Se brincar, lembro de todos os presentes. Eu ficava ansiosa para acordar cedo e abrir os meus. Ficava pensando em como o Papai Noel entrava na minha casa sem que ninguém o visse. Aos 9 fiz uma carta enorme pedindo vários CD's. Encontrei a carta em um lugar diferente do que eu havia deixado. Pensei: "Poxa, o Papai Noel nem se deu trabalho de ler minha carta". Fiquei bem triste, mas logo deixei para lá.

Eu acreditava que o Papai Noel realmente existia, afinal ele nos visitava. Na festa de Natal da minha universidade o Papai Noel sempre chega de helicóptero e é sempre um alvoroço. Eu realmente achava que ele vinha do Pólo Norte ou de algum lugar bem frio e que mal sabia falar português. 

Aos 14 anos, eu já não tinha mais aquela ansiedade em receber brinquedos para brincar, porém deixei minha sandália na árvore, como de costume. Mas havia chegado o tempo que minha mãe não colocaria mais presentes lá. E tudo fez sentido a partir de então. Fiquei muito frustada, angustiada, e me sentindo uma idiota.

Hoje eu reconheço que tudo o que minha mãe fez com boas intenções. Foi um gesto de amor, acima de tudo. Éramos crianças, e aqueles momentos realmente nos fizeram felizes.

Lembro que com 10 anos fui à missa na época do Natal e o padre focou em chamar o Papai Noel de "palhaço Noel", porque o Natal tinha virado uma palhaçada. As pessoas focam no consumo, em ganhar coisas, em comprar... E o que Natal não é se não uma data sobre Jesus? Não deveria ser o único foco o Nascimento de Jesus Cristo?

Hoje, adulta, confesso não me empolgar mais com essa data. Aprendi que Jesus não poderia ter nascido no dia 25 de dezembro, a data surgiu através da escolha de uma festa então pagã que já se realizava, me vi agnóstica diante de tantas religiões no mundo e pra quem não é adepto é difícil se "encontrar" em uma da qual não faz parte etc, etc.

Independente de tudo, o que eu gostaria é que toda a união que é prezada nesse momento fosse exaltada. E não só no Natal, mas o tempo todo. O ano inteiro. A vida inteira. Um momento para reunir os parentes, abraçar pessoas que há tempo não eram vistas Desejar coisas boas ao próximo. E por que não ajudar ao próximo? Doar a quem necessita. E muitas vezes o que elas querem de nós é tão pouco... Mas se entregue de todo o nosso coração, vale muito para elas.

Confesso também não ficar mais animada com receber presentes ou comprar. Claro que é legal participar de amigos secretos, celebrações, mas que o foco realmente seja celebrar essa união. Confesso também não saber o que tantas coisas caras no shopping e fazendo referência ao Natal significam e qual a importância delas.

Mesmo para quem não crê em Jesus, gostaria que o foco das pessoas no Natal fosse ao menos celebrá-lo ou tentar parecer como ele, já que o Natal é sobre Jesus. Ler sobre Jesus, procurar saber sobre ele, é de admirar e tocar o coração, isso ninguém que já o buscou com toda a sinceridade pode negar. Valeria até celebrar seu nascimento mesmo numa data "escolhida", mas que se compreendida com boas intenções tem o seu valor.

Não tenho ideias de como serão meus próximos Natais com a nova visão de mundo que eu tenho agora. Mas certamente eu sei de que nunca vou me esquecer das memórias dos meus Natais de infância.

E claro, um Feliz Natal a todos! <3


Leia também:

- Sonhos de 2016 por Mundinho da Hannah
- Metas 2017 por Momento com Thaisa
- Blogagem Coletiva: Conselhos que eu daria para o meu "eu" de 2016 por Dose de Poesia
- Memórias de Natal por Mundinho da Hanna
- Conselhos que eu daria para o meu "eu" do início de 2016 por Cheiro de Pipoca

comentário(s) pelo facebook:

26 comentários

  1. Eu também contei algumas memórias de natal no blog e to mostrando um pouco do natal aqui na finlandia :3
    Boas festas!
    A Bela, não a Fera blog | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

    ResponderExcluir
  2. Cara esse texto foi o mais próximo que encontrei até hoje da minha visão. Não que eu pense como você, porém é parecido. Eu também já fui muito empolgada no natal, e agora não sinto mais nada quando a data chega. Sinceramente, acredito que seja uma das confraternizações mais hipócritas que existem.

    Até mais!
    Karolini

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente! Eu não vejo mais tanto sentido porque não sou cristã nem adepta desse consumismo ou exaltação pelo Papai Noel, etc etc. Mas se as celebrações forem sinceras e realmente trazerem união, ótimo, só que claro, as pessoas devem se esforçar para isso o ano inteiro, não só nessa data!
      Falei de Jesus porque pelo menos a data deveria focar apenas nele ou primeiramente nele. De resto, se não for realmente uma celebração sincera de confraternização entre as pessoas acaba realmente sendo hipocrisia :/

      Excluir
  3. Também tenho muito carinho pelas lembranças dos natais durante minha infância, mas não consigo me empolgar da mesma maneira hoje em dia. É como você falou, o significado que a data realmente tem foi perdido. Ela deveria ser marcada com sentimentos e atitudes belas, altruístas, de amor. E atitudes estas que deveriam ser praticadas o ano inteiro. Não é se preocupar com presentes, comprar, reunir pessoas com quem você não se importa no resto do ano apenas para que todos pareçam unidos nesse único dia. O que era pra ser cheio de sentimento acaba se tornando cheio de aparências e consumismo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compartilho da mesma opinião e ainda dou RT! rsrs
      Super verdade isso que você escreveu <3

      Excluir
  4. Infelizmente, o Natal esta muito ligado ao consumismo, enquanto devia ser mais ligado a família. Deviamos dar valor a família todo ano mas nem sempre é possível reunir a família sempre que queremos e o Natal é uma época que deviamos aproveitar isso, tal como a Páscoa. Beijo bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Os valores estão trocados :/ Não só nessa época, mas em outras datas, a Páscoa é uma delas!
      Obrigada pelo ótimo comentário <3

      Excluir
  5. Nossa, que texto tocante! Me lembrou a infância, e me fez ter outras memórias boas! Pena que hoje as coisas ficaram tão banalizadas. O verdadeiro motivo já se "foi", infelizmente. Porém o importante é ficar com a família/amigos e ser feliz.
    Um beijo e feliz natal.

    www.esteticando-se.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Banalização, essa é realmente a palavra...
      Amei seu comentário :)

      Excluir
  6. Adorei tuas memórias ♥ A gente se esquece dessas coisas com o tempo, né? Ou, ao menos, não damos mais tanta importância quanto quando éramos pequenos. Lembro que já era adolescente quando ocorreu um fato estranho aqui em casa, bem no dia de Natal. A chave da porta simplesmente sumiu e uma cartinha apareceu na árvore, mas, pasme, só tinha eu e minha mãe em casa, e estávamos juntas na cozinha. Nunca soube ao certo o que aconteceu nesse dia, mas isso me marcou pra sempre. São justamente essas miudezas que fazem essa época ser tão linda, tão magnífica. Sair e olhar as casas enfeitadas é um calmante natural ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lembrança da hora!
      Fazer esse post me exercitou a trazer essas lembranças... e foi muito bom!
      Os enfeites são lindos e contemplá-los é prazeroso :)

      Excluir
  7. Que texto lindo! Ontem me peguei pensando na forma como a celebração do Natal era feita. Se comemoramos o nascimento de Jesus, por quê dar tanta importância aos presentes, às comidas, às mais belas roupas e maquiagens? Nenhum desses presentes será dado a Ele, as comidas não foram feitas pala agradá-Lo e toda essa beleza não está sendo cuidada para Ele. Acho que a gente celebra o egoísmo, e não o Nascimento do homem que nos salvou.
    Todo 24/12, ao acordar, eu peço para que o Menino Jesus renasça no meu coração, porque esse é o significado da comemoração. Não são os presentes, nem as comidas. Eu enfeito a minha casa e arrumo o meu quarto porque quero que Jesus seja bem recebido no meu lar. Quero que Ele sinta vontade de ficar pra sempre.
    Feliz Natal <3
    http://pyetramelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário mais lindo!
      Fico muito feliz em ver que as pessoas tem um relacionamento tão forte e fiel à fé <3
      Foi um prazer receber seu comentário!

      Excluir
  8. Oiie!

    Seu texto me fez relembrar as saudosas épocas em que minha mãe nos transmitia essas histórias de papai Noel. Hoje, bem diferente daquela época, lembramos mais de Jesus do que a troca de presentes.

    Parabéns pelo texto!

    Beijos! Seguindo

    Lê e ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal! Tão bom crescer espiritualmente =)
      Obrigada pelo carinho :*

      Excluir
  9. Li a musiquinha de natal cantando mentalmente hehehe mas olha, também não tenho lá essas lembranças boas de Natal. Até participo, enfeito a casa. Mas não é algo tão forte pra mim. Mas é isso. Mesmo assim te desejo um Feliz Natal. Bjo!

    www.pandapixels.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa música todo mundo conheço hehe.
      Também não é tão forte pra mim, mas enfeitar a casa é super legal!
      Obrigada pelas felicitações <3

      Excluir
  10. Eu considero o natal uma data de família. Com consumo ou não o natal junta as pessoas e acho que essa é a parte mais legal! ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a parte mais legal mesmo! Ter o natal como uma data memorável entre os familiares é maravilhoso também.

      Excluir
  11. Olá, Juliana!
    Agradeço todo o Natal por meus pais não me fazerem acreditar em Papai Noel, mas manterem a parte lúdica com a decoração, ceia e troca de presentes. Virou uma tradição para reunir a família, sem a parte religiosa, pois aqui cada um tem sua própria crença.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, agradeça mesmo, eu acho super legal ter essa conversa :)
      Que legal os seus Natais, ainda mais que existe o respeito em meio a crença de cada um! Amei!
      Beijo

      Excluir
  12. adorei suas memorias de natal.
    pena que o natal perdeu o verdadeiro significado, virou mais capitalista
    http://dose-of-poetry.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse "capitalismo" estragou tudo :/
      Obrigada pelo comentário ^^

      Excluir
  13. Meu Deus Juh a boneca da Sheila Carvalho...doi muito legal ler as memorias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehe, ela era liindaaa :)
      Sempre é bom compartilhar memórias, todo mundo tem as suas bem particulares sobre esse momento!

      Excluir