Carta ao meu pai


Parece que foi ontem que você me botava no braço sempre que eu pedia. Era uma das coisas que eu mais gostava. Eu sabia que eu era especial pra você desde quando você me balançava na rede e cantava "Juju, a minha Juju / Como vai, como passou / Como anda essa coisinha / Sem carinho e sem amor", uma breve melodia que eu achava que era sua, hoje sei que não é, mas não importa.

Te via forte, alto, e achava que essas características seriam suas para sempre. Me vi criança, indefesa, e sabia que minha proteção estaria sempre em você. Há uns anos atrás te vi mais velho, cabelos brancos e perdidos, e me dei conta de que o tempo está passando. Já sonhei com sua morte e chorei em sonhos achando estar vivendo um pesadelo e dei um sorriso de canto no momento seguinte que percebi que tudo não passou de ilusão. 

Quantas vezes eu me peguei entristecida com suas duas fases? Sei que é um sertanejo humilde, engraçado às vezes, e também generoso e meio besta, sendo facilmente manipulado pelas outras pessoas. Mas o outro lado de você, embriagado, violento, me deixou muitos traumas. Uma vergonha em andar ao seu lado. E saber que você não amava minha mãe sempre angustiou meu coração.

Mas eu sei que você me ama. Tanto que não quer nenhum outro cara perto de mim. Você fala que não quer ver alguém triscando nos meus cabelos com tanta propriedade na frente dos outros, não sabe o constrangimento que me passa. Apesar de tudo, sei que não és uma pessoa ruim, mas adoraria que estivesse sóbrio em todos os momentos. A gente poderia viver e aproveitar mais, inclusive agora que estás mais "normal" do que antigamente.

Por tudo sou grata, ainda que hoje você não me pegue mais no meu braço e nem se lembra de cantar a música que tanto ouvi quando criança.

Feliz Dia dos Pais <3

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários

  1. No início a carta tava tão fofinha, depois foi ficando triste e traumática, mas muito bem escrita a cima de tudo, adorei ler palavra por palavra sobre o amor do seu papai por você, as parte traumáticas é melhor esquecer, né?

    Peixinhos,
    talodemaca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhum... mas é um problema quando elas ainda se fazem constantes :/
      Mas ainda assim o amor supera <3

      Excluir
  2. Oi Ju! Que texto lindo e emocionante! Eu também tive uma relação bem complicada com o meu pai, por causa da bebida também em grande parte. Inclusive foi o que o matou. É tão difícil ver uma pessoa que amamos dessa forma, né?
    Depois de tudo o que passei um conselho te dou: Aproveite os melhores momentos com ele, e lembre só desses, apesar de ser difícil. Se o tempo voltasse gostaria de ter passado mais tempo com o meu!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito, é muito triste ver aquela pessoa naquela situação porque ela não está consciente, é como se fosse outra. Faz muitas besteiras que interferem no psicológico das pessoas que o cercam demais.
      Super te entendo, e isso é a mais absoluta verdade. A gente nunca sabe o dia de amanhã.
      Obrigada pelos conselhos e preocupação <3

      Excluir